.

O Prof. Dr. Paulo Nogueira Neto nasceu a 18 de abril de 1922, na cidade de São Paulo. Ele é filho do ex-deputado federal Paulo Nogueira Filho e da Sra. Regina Coutinho Nogueira. Viúvo de Lúcia Ribeiro do Valle Nogueira. Tem 3 filhos: Paulo Nogueira Júnior, Luiz Antonio Nogueira e Eduardo Manoel Nogueira e 6 netos.

Fez o curso secundário no Ginásio de São Bento, em São Paulo. Como estudante, tomou parte ativa na luta contra a ditadura do Estado Novo. Ainda nos tempos de estudante, no tempo da 2ª Guerra Mundial, fez o seu serviço militar voluntariamente, como soldado raso de cavalaria.

Em 1945 tornou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Depois fez o curso de História Natural , na Faculdade de Filosofia e Letras da USP.

Trabalhou intensamente nas pesquisas sobre o comportamento das abelhas indígenas sem ferrão (Meliponinae). Bacharelou-se em História Natural pela USP, em 1959. Defendeu Tese de Doutaramento em 1963, sobre a arquitetura dos ninhos dessas abelhas. Sua Tese de Livre-docência (1980) foi sobre o comportamento de pombas e psitacídeos silvestres.

Na carreira Universitária, na Universidade de São Paulo, foi galgando sucessivos postos, sempre por concurso, até obter título de Professor Titular de Ecologia em 1988 (aposentado em 1992). Durante diversos anos deu cursos sobre comportamento de animais sociais e sobre as mudanças climáticas e os ecossistemas terrestres. Foi também um dos fundadores do Departamento de Ecologia Geral, no Instituto de Biocências da USP.

Presidente de uma entidade conservacionista, hoje denominada ADEMA-SP (Associação de Defesa do Meio Ambiente - São Paulo), foi convidado para dirigir e organizar a Secretaria Especial de Meio Ambiente (SEMA), cargo que exerceu por doze anos e meio (1974-1986) no âmbito do Ministério do Interior e depois no Ministério do Meio Ambiente e Habitação. Teve ocasião de fazer inúmeras palestras sobre assuntos ambientais e de conhecer largas extensões do Brasil e do mundo. A SEMA criou e estabeleceu 3 milhões e duzentos mil hectares, em 26 Estações e Reservas Ecológicas. Assessorou Deputados e Senadores, conseguindo apoio de governo e oposição para a aprovação de leis ambientais (1981)

Após sair da SEMA, durante dois anos foi Secretário de Meio-ambiente do Distrito Federal, organizando e dirigindo a SEMATEC. Criou e implantou a Área de Proteção Ambiental de Cafuringa, no DF.

Pertenceu (1983-1986) à comissão Brundtland das Nações Unidas, sobre o Meio-ambiente e Desenvolvimento, onde foi um dos representantes da América Latina. Foi nessa Comissão que surgiu pela primeira vez a expressão "Desenvolvimento Sustentável".

Chefiou ou participou como delegado de várias delegações oficiais brasileiras ao exterior. Foi 2 vezes eleito vice-presidente do programa O HOMEM E A BIOSFERA (MAB) da UNESCO, com sede em Paris, Exerceu a Presidência desse Programa na Sessão de 1983. Também nesse ano foi unanimemente eleito Presidente do Conselho Federal de Biologia e mais tarde reeleito. Recebeu, em 1981, juntamente com Maria Thereza Jorge Pádua, o Prêmio Paul Getty, láurea mundial no Campo de Conservação da Natureza e o Prêmio Duke of Edinburgh 1997, da WWF Internacional. Foi distinguido com a Ordem de Rio Branco (do Brasil) e com a Comenda da Arca Dourada (1983), dos Países Baixos, também pela sua atuação conservacionista. É membro e foi um dos fundadores da ADCE (Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresa). É cristão católico praticante.

Atualmente: Professor Titular (aposentado) de Ecologia Geral, do Instituto de Biociências da USP; membro do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente); do Conselho do Meio Ambiente (CADES) da Prefeitura do Município de São Paulo, do Conselho de Administração da CETESB; Assessor do Programa de Educação Ambiental do Ministério da Educação; Vice-presidente da S.O.S. – Mata Atlântica; Vice-presidente da W.W.F. Brasil; Presidente da ADEMA-SP (Associação de Defesa do Meio-ambiente); Presidente da Comissão para implantação da Área de Proteção Ambiental Capivari-monos (SP); Membro do Board do World Resources Institute; Vice-presidente do International Bee Research Association; Membro do Advisory Group do PP-G7, (assessor do Banco Mundial e do Governo Brasileiro).

Publicou vário livros, sobre abelhas indígenas, a criação de animais nativos vertebrados e o comportamento animal. Também escreveu sobre viagens. É membro da Academia Paulista de Letras.

   

 

| home | vida e criação das abelhas indígenas sem ferrão | email |